Turma da Quinta - Gincana Cidade de Blumenau, Stammtisch | Blumenau SC Brasil

Onde, quando e como...A origem da gincana

Colaboração: Fabrício Wolff


Quando assumiu a Divisão para Assuntos da Juventude da Prefeitura de Blumenau, em janeiro de 1993, logo rebatizada de Assessoria para Assuntos da Juventude, Fabrício Wolff tinha três projetos principais. Dois deles foram realizados com sucesso logo de pronto: o Festival de Rock de Outubro, mais conhecido como Skol Rock (1994, 95 e 96) e a Gincana Cidade de Blumenau (cuja primeira edição aconteceu em 1993). Aceitando sugestões de tantos quantos quisessem colaborar com idéias, Fabrício recebeu Cláudio Peixer, um blumenauense envolvido com o escotismo e, por conseqüência, com adolescentes e jovens, que também tinha idéia de uma grande gincana para integrar a juventude. Nascia ali a "Gincana Cidade de Blumenau". Como todo evento, a Gincana nasceria pequena, mas tinha grandes possibilidades de tornar-se a maior do estado e, quem sabe, até do Sul do país.

Para isso, estrategicamente foi marcada para acontecer na data do aniversário da cidade, comemorando assim a importante data de Blumenau: "Com isso aumentamos a importância do evento em si, envolvendo a comunidade, além de potencializarmos a busca por patrocínio", lembra Wolff. Depois de um lançamento, reunião feito na FURB com líderes jovens convidados e outros interessados, a Gincana teve a inscrição de várias equipes. Ao todo, no primeiro ano, foram 366 pessoas e 92 veículos inscritos, em seis equipes participantes. Houve bom patrocínio para mídia e premiação e as equipes vencedoras ganharam lancha, motocicleta e outros bons prêmios. A partir daí, cresceu o interesse da juventude e da comunidade pela Gincana Cidade de Blumenau. Para o segundo ano, o mais importante para Fabrício era manter os objetivos para os quais a Gincana foi criada e o espírito da mesma. Ele sempre fez questão de ressaltar que a Gincana nasceu para integrar a juventude da cidade, promover esta mesma integração entre juventude e comunidade especialmente através das tarefas sociais e comemorar o aniversário da cidade de maneira alegre e solidária (as tarefas sociais distribuíram toneladas de alimentos e agasalhos às famílias carentes de Blumenau já no primeiro ano da Gincana). "O espírito tem que ser o da amizade. Mais importante do que ganhar e competir, é conviver com todos os integrantes de todas as equipes de forma companheira, leal, realmente amiga", acentuava. No ano seguinte (94), o número de participantes subiu ultrapassando a marca de 450 inscritos. Muitas outras pessoas envolviam-se como "apoio". São integrantes não inscritos nem uniformizados que ajudam na solução das tarefas. Mesmo com todo este movimento causado pela Gincana junto à comunidade, foi um ano difícil para conquista do patrocínio. Tanto que na primeira reunião preparatória da 2ª Gincana Cidade de Blumenau, Fabrício chegou a colocar aos coordenadores que temia pela não realização do evento uma vez que não possuía uma premiação á altura para disponibilizar às equipes. Foi quando a coodenadora da equipe Ecossistema, conhecida carinhosamente por Mascote, lançou uma figura de linguagem que representava bem o sentimento de todos os coordenadores de equipes presentes à reunião. Disse ela: "Olha, nossa equipe quer que a Gincana aconteça. A gente participa nem que o prêmio seja um canarinho". Estava confirmada a segunda edição da Gincana, que mais uma vez foi um sucesso absoluto, contando sempre com a colaboração de Cláudio Peixer e sua namorada, que além de ajudarem nos dias da Gincana em si como sub-coordenador e apoio, respectivamente, elaboravam a maioria das tarefas. Por problemas profissionais que lhe tomavam o tempo, Cláudio acabou deixando a Gincana após esta segunda edição. Uma marca constante nos quatro primeiros anos da Gincana Cidade de Blumenau foi a participação dos coordenadores das equipes que eram convocados para reuniões e tinham abertura necessária para sugerir mudanças. Por isso a Gincana só fez crescer e melhorar. A cada ano eram batidos os recordes de participantes e de arrecadações nas tarefas beneficentes. Na 3ª edição (1995) até material de construção foi solicitado como tarefa. A resposta foram mais de dez mil tijolos, toneladas de cimento e cal distribuídos às famílias mais carentes. Mas para Fabrício Wolff, idealizador da Gincana Cidade de Blumenau, os números nunca baterão o sentimento de amizade, companheirismo, parceria e superação que o evento cravou nas pessoas que dela participam (ou participaram). Seu irmão, Nico Wolff, braço direito de Fabrício na Assessoria da Juventude, lembra que numa dessas edições da Gincana ("acho que foi 95", diz), chegou a ver seu irmão encher os olhos de lágrimas ao ver dois cantores líricos entoarem a música "Amigos Para Sempre" no palco da Gincana, no cumprimento de uma das tarefas.

O espírito da Gincana Cidade de Blumenau estava alí representado, emocionando a todos que acompanharam e participaram do seu início. Como curiosidade, Fabrício conta que viu muitos casais se conhecerem na Gincana e hoje, juntos, formam uma família com filhos e tudo. "O grande barato da Gincana é que você cria novas relações que mesmo com o passar do tempo continuam fortes. Isto acontece porque fizemos desta idéia uma das coisas mais lindas de se ver e viver", finaliza, acrescentando que "a gente só plantou a semente. O lance deu certo porque o pessoal das equipes é especial. Entenderam a mensagem e fizeram da Gincana o sucesso que é até hoje. Eles é que são o sucesso do evento".

 

Atualmente

A Gincana Cidade de Blumenau é realizada desde 1993, no mês de setembro, com o intuito de festejar o aniversário da cidade. Realizada pela Prefeitura Municipal de Blumenau, através da Assessoria de Assuntos para a Juventude, o evento tem ainda os objetivos de promover a integração social e humana com a comunidade, por meio, principalmente, da doação de alimentos, roupas e brinquedos à entidades e pessoas carentes.   Dessa forma, as equipes participantes da Gincana, ao longo de todas as suas edições, já angariaram mais de 100 toneladas de alimentos e mais de 300 mil peças de roupas, contribuindo com a diminuição do abismo financeiro social que separa as várias camadas sociais. 

Arrecadação da Gincana
Alimentos


de 100 toneladas
Roupas


de 300 mil peças

Participam todos os anos, cerca de 12 equipes, somando-se aproximadamente 1.000 pessoas com atuação direta na gincana. A estas somam-se mais de outras 1.000 pessoas da comunidade que, indiretamente, junto com os meios de comunicação e os veículos envolvidos, engrandecem o evento, dando aos patrocinadores elevada visibilidade.

Esse projeto pretende conceituar a Equipe TURMA DA QUINTA, frente às informações apresentadas, como um grande canal de divulgação da sua marca junto ao um público expressivo e numa causa muito nobre.

 

As Provas

Em toda existência da Gincana Cidade de Blumenau, diversas provas já foram realizadas.

Com toda certeza, a criação das provas não é uma tarefa das mais fáceis e exige da comissão organizadora muita atividade intelectual no intuito de elaborar provas cada vez mais interessantes e apaixonantes.

Abaixo, selecione um ano para conhecer as provas criadas durante estes anos de gincana.

Todos os direitos reservados © 2017 - 2018 | Turma da Quinta | by softd